You are currently browsing the tag archive for the ‘educação’ tag.

Canção da tarde no campo

Caminho do campo verde
estrada depois de estrada.
Cerca de flores, palmeiras,
serra azul, água calada.

Eu ando sozinha
no meio do vale.
Mas a tarde é minha.

Meus pés vão pisando a terra
Que é a imagem da minha vida:
tão vazia, mas tão bela,
tão certa, mas tão perdida!

Eu ando sozinha
por cima de pedras.
Mas a tarde é minha.

Os meus passos no caminho
são como os passos da lua;
vou chegando, vai fugindo,
minha alma é a sombra da tua.

Eu ando sozinha
por dentro de bosques.
Mas a fonte é minha.

De tanto olhar para longe,
não vejo o que passa perto,
meu peito é puro deserto.
Subo monte, desço monte.

Eu ando sozinha
ao longo da noite.
Mas a estrela é minha.

Cecília Meireles

Li este poema no início do ano, bem lentamente. Na roda, as crianças embevecidas e eu, calamo-nos e o fim da tarde retumba.

happy_.jpg

(créditos do desenho lindo)

Ou se tem chuva ou não se tem sol,
ou se tem sol ou não se tem chuva!
Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!
Quem sobe nos ares não fica no chão,
Quem fica no chão não sobe nos ares.
É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo em dois lugares!
Ou guardo dinheiro e não compro doce,
ou compro doce e não guardo dinheiro.
Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo…
e vivo escolhendo o dia inteiro!
Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranqüilo.
Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.

(Cecília Meireles)

Os pequenos meus adoram esse poema… um deles recita quase que cantando e a libriana aqui quase esquece a angústia de não saber o que é melhor: isto ou aquilo 😉

danca_9.jpg

Qual a sensação de um abraço bem apertado? Um beijo estalado? Um monte de mãozinhas (a única de adulto é minha) juntas? Um olhar que sorri? Uma mão que toca o braço e parece que abraça? Qual a sensação (nada de piegas, por favor!) de uma canção entoada com várias bocas?  De dançar sem esperar? De ter um cafuné? De ter os cabelos penteados (ou despenteados…rs) por dedos? De ter uma resposta? De ser uma pergunta? De dizer “tudo bem” e realmente se importar?

E cada motivo é tão imenso e intenso que me perco no abismo de ser humano. Ou tentar?

– Oi;
– Tchau;
– Bom dia, boa tarde, boa noite;
– Com licença;
– Obrigada;
– Por favor;
– Sorriso;
– Olhar nos olhos;
– Olhar ao redor e perceber o outro (que são muitos);

Se não aprendeu essas expressões de gentileza e boa educação para uma convivência social agradável, cole essa pequena lista na parede do quarto e observe a diferença que há em usá-las!

Se aprendeu, mas esqueceu, experimente ter educação e perceba que ser educado ou gentil não é ser travado, ou obedecer uma regra social, mas é ser leve, bem leve.

Olhe ao redor! Não fique parado na porta de entrada e saída dos lugares! Se você não vai descer: faça o favor de não ficar na porta do ônibus!

Sorria, sorria um sorriso leve, agradeça quando te deixam passar, ofereça para carregar a sacola pesada de quem está em pé no ônibus, deixe o pedestre passar motorista! Você vai chegar antes dele: certeza! Não acelere o carro não 😦

Lembro dos anos em que trabalhei na APAE e em como meus alunos me recebiam às 7h da manhã: BOM DIA! Parecia que o dia acabara de acordar, de nascer dali da boca do menino que sorrindo desejava um bom dia para cada um que chegava na escola!

Pensar nisso é inevitável não lembrar da música da Marisa Monte, que fala de um homem que viveu andando pelas ruas do Rio perguntando: “Gentileza, você tem sido verdadeiramente gentil ultimamente?” e escrevendo palavras de gentileza nos muros da cidade.

Experimente a Gentileza. Experimente olhar todos como se cada um pudesse ser seu amigo de colo, seu primo-irmão, um querido que te entenda muito. Olhe bem: uma dessas pessoas poderia ser um namorado, um amor-da-vida! Poderia ser alguém que te saiba. A vida é feita de encontros, disse Vinícius…

Experimente andar cantando por dentro (mesmo que não tenha mp3), olhar atentamente as ruas da cidade Olhe os olhares… quantas histórias andando, se cruzando, decidindo ou delirando. Quando alguém lhe disser “bom dia”, responda sorrindo.

Experimente a diferença de dizer sorrindo… Bom dia! Obrigada! 🙂

LE-VE-ZA ande por aí, bem leve, na rua, na escola, no trabalho, dentro de casa. Já dizia minha mãe: a boa educação cabe em qualquer lugar!

Bom dia 😉

Arquivo

Flickr Photos

3515

A Wave Of Colour

The Falls Of Falloch / Eas Fallach

Mais fotos